redes

CURSO M.T.C. Corpo Docente

Corpo Docente

  • APRESENTAÇÃO

  • Ana Varela

  • Afonso Fernandes

  • Daniel Lopes

  • Deolinda Fernandes

  • Diana Pinheiro

  • Filomena Serrano

  • Helena Fonseca

  • Hortência Rodrigues

  • José Faro

  • Juliana Almeida

  • Juvenal Branco

  • Lu Mei

  • Lurdes Carvalho

  • Manuel Silva

  • Manuel João Pinheiro

  • Nelson Machado

  • Pascoal Amaral

  • Paula Madeira

  • Paulo Oliveira

  • Paulo Mascarenhas

  • Pedro Cruz

  • Pedro Matos

  • Rita Antão

  • Rogério Costa

 

corpodocente a

A equipa de formadores conta com docentes especialistas em Medicina Tradicional Chinesa aos quais se juntam professores e monitores de MTC e Professores de Biologia, Psicologia, Medicina Ocidental e Tai Chi. A ESMTC tem actualmente 5 Doutores e 5 Mestres e 13 licenciados:

    3 Doutores em Acupunctura, Tui Na e Moxabustão e 3 Mestres em Fitoterapia Tradicional Chinesa pela Universidade de Medicina Chinesa de Nanjing (NJUCM).
    2 Doutores (FMH e UTL-FML) e 1 Mestre (ESTSL) em Medicina e Saúde; 1 Mestre em Biologia e Saúde (ISCS).

No total cerca de trinta formadores com longa experiência técnico-científica e pedagógica.


Direcção
José Faro
Deolinda Fernandes
(Doutores pela NJUCM e 39 anos de experiência de ensino, 25 dos quais em MTC)

Presidente Honorário
Professor Doutor Jie Jing (Prof. NJUCM)

Coordenação Científica e Pedagógica
Professora Doutora Wang Lingling
(Professora de Acupunctura desde 1977, professora catedrática, investigadora e directora do Departamento de Acupunctura e Tuina da Universidade de Medicina Chinesa de Nanjing)


        

 

O meu currículo evidencia três procuras  fundamentais:

1.    A procura de uma medicina ao serviço da saúde do maior número.
2.    A procura do exercício para o bem estar e para a saúde de todos, em diferentes contextos de prática, dando particular  atenção à pessoa com limitações.
3.    A procura da mehor formação para o ensino do exercício desportivo e natural a pessoas com deficiência e para a formação de estudantes universitários no âmbito do exercício e saúde e da medicina tradicional chinesa.  

No âmbito do ensino universitário destaco a minha experiência na formação em ambiente clínico ou profissional. Neste é possível apreciar em tempo útil e real os resultados do ensino e colocar questões problema que motivam os alunos para novas aprendizagens e para o encontro da melhor solução para a resolução dos problemas de saúde dos pacientes.

No cerne destes três caminhos  sucederam-se, inicialmente,  oportunidades e motivação mas  mais tarde foi evidente  a construção interna, paulatina,  de um  espírito científico  em ambiente de partilha académica e em contexto de prática clínica, ao ponto de me tornar docente desta área na ESMTC e este  se sentar comigo no dia a dia de prática clínica.
 
Na vida os encontros respondem muitas vezes à procura persistente mas  sem se anunciar ou indicar o dia, ou o modo como se apresentam, pelo que frequentemente a vida dá voltas que a razão desconhece mas que o coração procura entender! Foi assim que um dia ao acompanhar o meu marido no seu almoço, na Espiral,  vi o anúncio do 1º curso de Medicina Tradicional Chinesa da ESMTC em 1994 afixado no lado direito da escada. Curiosamente tinha concluído, em Março, um curso de Corpo e Consciência em que o Professor nos tinha dado as primeiras noções de Qi Gong e de Medicina Tradicional Chinesa. Desci para me inscrever e deixei-me ir e foi na sua vivência que aconteceu…

O sonho da vida nasce conosco
Ás vezes, numa pequena mala de medicina
Ao serviço de um familiar doente

Ás vezes nas raízes dos ossos
dum esqueleto  sem nome
servindo de estudo e de espanto
ao sono inquieto da juventude

Outras vezes, mais tarde,
na palavra de um colega, de um professor
que ainda caloiros  nos chama doutores.

Outras na escada da Espiral
No meio de milhares de eventos
Iniciativas alimentares
E desafios de vida impossíveis de acreditar

E quando neste vaivém da vida ´
envoltos no  mar que passou
Nos damos conta do sonho
Já o fio da vida nele se afundou!  

E é nesse mesmo momento,
Como que num suspiro, num aí
Que se apreende, sente,
Escuta o TAO
E  se deixa que a vida acenda Nele
O sonho que nunca se acabou

 
Agradeço aos meus Professores da  Escola de Medicina Tradicinal Chinesa a graça do encontro com o sonho da minha vida, ser Professora desta escola é, de algum modo, retribuir  esta dádiva e torná-la fértil na vida dos meus alunos.

 

Brevemente   

Daniel Lopes

DanielMonitor nas Cadeiras de Massagem Tuina 2 e de Diagnóstico 2 na Escola de Medicina Tradicional Chinesa de  Lisboa de 1999 a 2003.
Coordenador do Estágio Clínico de Massagem Tuina da Escola de Medicina Tradicional Chinesa de Lisboa desde 1999.
Licenciatura em Medicina Tradicional Chinesa pela Escola de Medicina Tradicional Chinesa de Lisboa (ESMTC) e Estágio Clínico de Medicina Tradicional Chinesa na Nanjing University of Tradicional Chinese Medicine (NUTCM) em Nanquim na República Popular da China concluídos em 2004.
Professor na Escola de Medicina Tradicional Chinesa de Lisboa desde 2005.
Actualmente Professor das Cadeiras de Diagnóstico 2, Prescrição 1 e Complementos de Formação.

Reconheço na nossa Escola uma sede do Saber. Aqui a partilha de Conhecimento entre pares tem um valor inestimável  para o Caminho do Especialista de Medicina Tradicional Chinesa. Ser Professor nesta Escola é ser um agente desta dinâmica. Além disso desde o início do curso  identifiquei nos meus Professores e Fundadores da Escola modelos e exemplos a seguir, pelo que aceitei com agrado o desafio de percorrer um caminho em conjunto.

Na década de 90 não encontrei realização pessoal como aluno de Engenharia Eléctrica e Electrónica. Era altura de mudar de rumo, por isso uma atracção pela arte e filosofia oriental e uma mãe formadora e investigadora na área da saúde iniciaram o meu interesse pelas terapias orientais e então iniciei o meu percurso pela Massagem Shiatsu. Não fiquei satisfeito, queria mais respostas. Ao ler uma entrevista com a Directora da Escola de Medicina Tradicional Chinesa de Lisboa, a Professora Deolinda Fernandes, percebi que este seria o próximo passo.

Já tinha noções acerca da saúde e da terapia de um ponto de vista oriental graças à minha formação prévia e prática em Massagem Shiatsu em finais da década de 90. Quando tomei conhecimento deste curso e seus conteúdos fiquei impressionado com a complexidade e quantidade das matérias propostas. No entanto isso foi uma motivação e percebi que caso conseguisse terminar com sucesso seria um Especialista de Medicina Tradicional Chinesa.
Foi uma decisão que mudou tudo. Hoje persigo e integro a Via do Acupunctor.

Reecontro a razão de ser professor na ESMTC citando António Variações “Devia ser a nossa forma de viver Dar e Receber”

Deolinda Fernandes

Deolinda FernandesLicenciatura em Sociologia - A procura por uma profissão ligada ao conhecimento e auxílio dos outros levou-me a formar-me em Sociologia (ISCTE), em 1979, depois de ter ingressado no curso de Psicologia do ISPA (1972), que na altura não era reconhecido, e frequentado os dois primeiros anos.

Professora desde 1974 - Comecei a lecionar em 1974, primeiro como monitora da Faculdade de Direito (Epistemologia e Metodologia das Ciências Sociais) depois, a partir de 1975 como professora do 4º Grupo no ensino oficial e a partir de 1990 como professora de Qigong, primeiro no Instituto Médico Naturista e particularmente, desde 1992, no Centro de Medicina Tradicional Chinesa da cooperativa Espiral e desde 1994 na Escola de Medicina Tradicional Chinesa, onde lecionei muitas outras disciplinas de MTC, nomeadamente teoria básica, diagnóstico, dietética, dermatologia, análise de casos clínicos, introdução à acupunctura e à moxabustão.

Formadora de formadores, coordenadora dos directores de turma, delegada da disciplina de Matemática (período entre 1979 e 1993).

Acupunctora e especialista de MTC, registada nas Finanças como “outros técnicos paramédicos”, desde fins dos anos 80.

Co-fundadora e co-directora, desde 1992, da Escola d’Energética Chinesa e Cultura Tradicional, depois Escola Superior de Medicina Tradicional Chinesa (não reconhecida oficialmente) e actualmente Escola de Medicina Tradicional Chinesa acreditada pela DGERT.

Doutorada em Acupunctura e Moxabustão pela Universidade de Medicina Chinesa de Nanjing, em 2006, grau oficialmente reconhecido pelo Governo da RPChina.

Aos 33 anos “o meu mundo” pareceu desmoronar, muitas perguntas sem resposta, o que julgava ser para uma vida inteira, tinha perdido sentido.

Encontro com um velho amigo. Jantamos, fala-me da Medicina Chinesa e do Qigong.

Dezanove anos atrás queríamos ser bailarinos, o domínio do corpo ligado à arte. Agora fala-me de qigong, a arte de manipular com êxito a energia. Segundo ele, algo que supera em muito o exercício físico da dança clássica, trabalha e dá consciência ao corpo físico, emocional e mental e, por trás, uma teoria milenar, uma filosofia que se aplica na prática e que há milhares de anos é adoptada por um terço da humanidade - a Medicina Tradicional Chinesa.

Palpa-me os pulsos e faz-me um diagnóstico. Trata-me de uma dor lombar e ensina-me medicina chinesa perante o meu fascínio e admiração.

Parecia tudo começar a fazer sentido.

A vontade de ensinar sempre pulsou nas minhas veias. Já em criança tinha salas de aula repletas de alunos invisíveis à minha frente, enquanto usava os sapatos de salto alto de minha mãe. Aos vinte anos, quando ingressei como professora no ensino oficial, conheci outros professores que ansiavam por outras pedagogias, profissionalizei-me e estudei muitas teorias pedagógicas e a vontade de ter uma escola com uma pedagogia diferente sempre me entusiasmou.

Não fazia ideia é que a escola que iria fundar era de Medicina Tradicional Chinesa.

Depois de me apaixonar pela MTC decido tirar um curso de Acupunctura na Associação Portuguesa de Medicina Acupunctural (APMA), fundada pelo mestre Araújo Ferreira em 1982.

Foram meus professores José Faro (teoria básica e diagnóstico da MTC, topografia dos meridianos e dos pontos), Afonso Lopes Vieira (prática clínica) e Dr. Caetano (bases gerais da medicina convencional).

Torno-me Secretária-Geral da APMA e juntamente com outras duas associações, Associação Portuguesa de Naturopatia (APN) e Associação Portuguesa de Homeopatia (APH) fundamos a Federação Nacional de Medicinas Alternativas Naturais (FENAMAN).

A direção da FENAMAN decide que a única maneira de sermos reconhecidos oficialmente é formarmos especialistas de qualidade para que seja a população portuguesa a decidir se devemos ser ou não reconhecidos como profissionais de saúde.

(Hoje, 2 milhões de utentes utilizam as Terapêuticas Não Convencionais - TNC, segundo o director da Entidade Reguladora de Saúde e já saíram duas leis - 45/2003 e 71/2013 - que reconhecem estas terapêuticas e os seus profissionais).

Nessa altura, assentamos que serão formadas 3 escolas, uma de naturopatia, outra de homeopatia e outra de acupunctura e medicina tradicional chinesa.

Eu, o José Faro e o Jorge Ramos criamos a Escola d’Energética Chinesa e Cultura Tradicional dedicada ao ensino da MTC. Mais tarde juntam-se a nós o Juvenal Branco e o saudoso e querido Comandante Araújo Brito.

Com um grupo de nove professores, no Centro de Medicina Tradicional Chinesa da cooperativa Espiral avançamos com o nosso 1º curso de MTC, em Março de 1994.

A decisão que tomei de abraçar o estudo e a prática de MTC foi central e fulcral na minha vida, determinou uma nova visão do mundo e da vida. Permitiu conhecer outra civilização, outra maneira de estar e pensar, permitiu começar o diálogo dentro de mim entre tese, antítese e síntese. Até aí tinha revelado uma visão muito parcelar do mundo embora desde muito nova tenha estado impregnada da cultura chinesa. Primeiro através dos livros de Pearl Buck e depois através do maoismo.

Permitiu que a minha vida se enchesse de dialéctica, de tolerância, de amor, de alegria por poder transmitir a outros aquilo que me foi transmitido e, além disso, de cada vez que recebo alguém em consulta constatar a eficácia do tratamento aplicado. É uma maneira diferente mas eficaz, plena da potencialidade de aquisição de consciência e saúde por parte de quem a recebe.

Ser professora na ESMTC significa poder transmitir uma filosofia e uma prática que tem vindo a ser utilizada desde há milhares de anos e que se mantém viva e eficaz.

Significa conviver com seres humanos que procuram conhecimento para saber-ser e saber-fazer.

Significa imprimir a vontade de investigar tudo o que acontece à nossa volta.

Significa querer participar activamente na educação para a cidadania, semear ideias e vontades com uma filosofia própria.

Significa levar aos meus formandos uma cosmovisão que permite tratar e onde cada um possa elejer o que melhor encaixe com a sua forma de pensar, sentir e agir, porque cada um é um ser único e cada um deve comprometer-se com as mudanças necessárias que precisa alcançar para ser um excelente especialista de MTC, útil para si, para os outros e para todos os seres vivos do planeta, incluindo o próprio planeta e todo o universo.

  Diana Pinheiro                 

Foto - Diana Pinheiro - 1Especialista em Medicina Tradicional Chinesa (Formação de 5 anos – 5000h),   pela ESMTC- Escola de Medicina Tradicional Chinesa e pela NUCM-     Nanjing University of Chinese Medicine.

Fez estágio hospitalar em 6 hospitais em Nanjing, 4 dos quais em Pediatria. Fez 4 anos de estágio no Centro Clínico da ESMTC. Terminou o seu curso no ano letivo 2004/2005. Tese final de curso: “Cromodiagnóstico – A Análise do Desenho Infantil à luz da MTC”.
 É docente na ESMTC desde 2006. Dá aulas nas cadeiras de Psicologia III, Pediatria I, Chi Kung III, Desenvolvimento Pessoal,  Cívico e Social.
 Coordena o NGQ - Núcleo de Gestão da Qualidade Terapêutica, e o NEC - Núcleo de Extensão Comunitária da ESMTC. No âmbito do NEC coordena projectos de intervenção Social com a SCML - Stª Casa da Misericórdia de Lisboa, entre outras Entidades, com as quais a ESMTC estebelece protocolo, no âmbito das várias vertentes terapêuticas da MTC.
 Deu formação a Enfermeiros em cursos de especialização na Escola Superior de Enfermagem de Lisboa e dá formação na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Beja, no âmbito do Curso de Pós-licenciatura em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediatria.
 É Vice-Presidente do comité de Pediatria da WFCMS - World Federation of Chinese Medicine Societies,
 É co-autora do Livro “Alquimia dos Sabores – Guia para uma alimentação saudável”, editora Dinalivro, lançamento fnac, Dezembro 2011, Lisboa. Tem formação nas áreas da motivação, comportamento organizacional, gestão de equipas, PNL-Programação Neurolinguística, gestão emocional, lifecoaching, Psicologia Transaccional, Socorrismo e TAT – Tripulante de ambulância de Transporte”
 Certificada com CCP – Certificado de Competências Pedagógicas.                 

“Foi aos 6 anos de idade quando o meu avô paterno me disse saber uma palavra em chinês, que o interesse nesta civilização que fala através de sons tão peculiares e que cultiva a arte de viver em saúde despertou. Mais tarde, a motivação foi sendo reforçada através do contacto com atletas chineses em provas mundiais, onde era frequente as equipas dos dois géneros terem presença no podium, em competições onde todos os hábitos de vida têm impacto físico, mental, emocional e energético, antes, durante e após o esforço.
As questões que se colocavam com frequência entre os atletas ocidentais eram três:
1. O que fazem estes atletas para conseguirem esta consistência positiva nos resultados?
2. Como conseguem manter o foco bem como a calma antes das competições, e a vitalidade depois de correrem vários km?
3.  Como preveniam e tratavam de forma tão eficaz as lesões desportivas - como se mantinham em saúde?
Pessoalmente tinha uma 4ª pergunta como foco de reflexão:
Como e quando faz sentido articular os conhecimentos da Medicina Tradicional do mundo Ocidental em que vivemos e a Medicina Tradicional Chinesa, de forma a que com os procedimentos, técnicas e metodologias que cada utiliza com excelência e dentro das áreas de intervenção em que actua, seja possível otimizar os cuidados de saúde e contribuir de forma integrada para a saúde pública?

Com a entrada do novo milénio no ano de 2000 decidi partir em busca destas respostas e descobrir tantos outros tesouros e contributos desta medicina milenar, alguns deles com que entretanto me fui deliciando quando o meu Pai, na altura estudante do 4º ano da ESMTC, de vez em quando ia soltando uma ou outra pérola desta sábia Medicina.

Hoje posso dizer que foi das decisões mais sensatas, certeiras, e promissoras que tomei, foi e continua a ser uma caminhada em simultâneo fascinante, apaixonante, exigente, desafiante e inspiradora.

“É com grande dedicação, alegria e paixão, que faço parte do Corpo Docente da ESMTC, é um partilhar, aprender e ensinar, aliar a tradição à inovação a cada momento, num fluxo contínuo de auto e hetero conhecimento, estudo, procura e descoberta contínuos.

É um espantoso lançar de sementes e colher de frutos de conhecimentos, competências e atitudes, no solo fértil da Existência, com o propósito da aplicação dos mesmos, em prol da optimização da prestação de cuidados de Saúde, com Qualidade, Ética, Rigor, Segurança e Eficiência.

Conseguindo sempre que possível e sempre que se diagnosticar ser necessário, em equipa - especialistas de MTC, com outros profissionais de saúde, com a família do paciente e em conjunto com a decisão-acção do próprio - a manutenção do seu bem-estar Físico, Psíquico, Emocional e Energético.

Aprendi ao longo do percurso que é possível identificar padrões de vida que podem ser inseridos, e/ou gradualmente alterados, actuando aqui também, ao nível da prevenção, da gestão emocional, do diagnóstico de necessidades, da atenção ao diálogo do corpo, da gestão ativa que o próprio paciente poderá fazer por si próprio, para que, ainda que em situações específicas, com orientação clínica personalizada, se possa também ele, tornar co-criador ou gestor, da sua própria saúde, longevidade, prosperidade e realidade, reposicionando-se no caminho da saúde, regularizando, ativando e utilizando também recursos e competências internas, indispensáveis para a melhoria e manutenção da sua qualidade de Vida e daquele que entender ser o Caminho certo, na Harmonia que para Si mais fizer sentido.

Brevemente   

 

   Comecei o meu percurso em MTC quando ingressei no mesmo em 2003.
Após a conclusão do mesmo, em 2008, comecei a lecionar a cadeira de Qigong, sendo que presentemente leciono a cadeira de Qigong II, ao segundo ano e a cadeira de Qigong terapêutico I ao quarto ano.
Em simultâneo faço prática clínica desde 2008.
No ano de 2007 fiz estágio Hospitalar na China, nas áreas de Acupuntura, Massagem TuiNa e Traumatologia.
Em 2008/09 realizei um workshop sobre selação terapêutica, com o intuito de estabelecer uma melhor relação terapêutica com os meus utentes.
Em 2009 fiz estágio Hospitalar na China nas áreas de Fitoterapia, Pediatria e Ginecologia.
No ano de 2011 ingressei num licenciatura de Fisioterapia, estando terminada no ano letivo 2014/15.
No decorrer desse curso em 2012 tive envolvida numa atividade “ Ouvindo os Idosos”, com o objetivo de compreender mais sobre as barreiras que os idosos encontram no seu dia-a-dia.
Em Junho de 2012 fiz estágio Clínico em Neurologia na clínica Saúdis, em Setúbal.
Entre Janeiro e Março de 2013 fiz estágio Em Cardio-Respiratória no Hospital Egas Moniz, em Lisboa, e fiz estágio de Pediatria no Hospital Dona Estefânia, também em Lisboa.
Em 2014 participei no I Encontro de Reabilitação em Pediatria, que foi organizado pelo serviço de Medicina Fisica e de Reabilitação do Hospital Dona Estefânia em parceria com a Associação Portuguesa de Terapeutas Ocupacionais.
Em Novembro de 2014 fiz estágio na área de Musculo-esquelética, numa clínica, em Setúbal.

Costumo dizer que a Medicina Chinesa é que me encontrou porque a área de formação inicial era Antropologia, mas ao ver um documentário sobre a Medicina Chinesa despertou em mim uma curiosidade sobre a temática, depois da pesquisa, fiquei a conhecer a escola e acabei por anular a matricula do curso de Antropologia e inscrevi-me no curso de MTC. Fiquei fascinada e identifiquei-me bastante com a forma como o ser humano é visto, a abordagem holística.

O meu percurso começou em 2003 e fico feliz com a escolha que fiz, porque estou convicta que é o futuro e que cada vez mais as pessoas precisam de uma abordagem multidirecional, é o que a medicina chinesa acaba por proporcionar, porque o terapeuta tem formação em todas as áreas da medicina chinesa o que o valoriza. Gosto de ser útil ás pessoas, de sentir que de qualquer forma as encaminhei e auxiliei para ter uma maior gestão sobre a sua condição. Torná-las mais autónomas e independentes, sem que fiquem “presas” á patologia.

Vejo esta escola como uma grande família, e puder fazer parte dela é um privilégio. Já leciono na ESMTC  á seis anos e tenciono faze-lo por muito mais tempo, é muito gratificante poder passar aos alunos o conhecimento, contribuir para que no futuro possam ser profissionais completos e com todas a ferramentas necessárias para auxiliar os utentes. Para além de passar o conhecimento, aprendo bastante com os meus alunos, torno-me uma profissional e pessoa melhor. Preenche-me, motiva-me  e desafia-me a cada ano letivo que se inícia.

 

Brevemente   

Brevemente   

  Juliana Almeida

Juliana

Juliana Bento de Almeida, concluiu o seu curso de Psicologia pelo ISPA (Licenciatura em Clínica) em 1977.
1979/80 - Estágio profissional na Clínica Psiquiátrica do Hospital de Santa Maria, sob a orientação do Prof. Daniel Sampaio.  
1980/1981 - Estudo epidemiológico efectuado na freguesia de Belas sobre as condições de vida e saúde mental naquela zona, realizado em colaboração com o Dr. Antonio Couto Soares, sendo Director da investigação o Dr. Guilherme Ferreira (Hospital Miguel Bombarda).
1980/85 -  Participação numa investigação sobre a Influência do contacto post partum nos comportamentos da mãe e do recém-nascido. Trabalho realizado no Departamento de Desenvolvimento do Serviço de Pediatria, e na Maternidade do HSM (incluindo o Centro de Cálculo do Instituto Gulbenkian de Ciência - tratamento de dados) -Director da investigação: Prof. J. Gomes Pedro.
1984 - Participação numa investigação sobre Terapia Familiar e Alcoolismo - Trabalho realizado na Clínica Psiquiátrica do Hospital de Santa Maria. Director da investigação: Dr. José Maria Neves Cardoso.
1988/89 - Participação numa investigação sobre factores psicossociais da úlcera péptica, no Hospital de Pulido Valente. Director da investigação, Prof. Antonio Barbosa.
1988/96 - Professora da disciplina de Psicologia (10º/11°, e 12º anos), na Escola Secundária Rainha D. Leonor.
Desde 1988 - Psicoterapia de Orientação Psicanalítica em regime de prática privada.
Desde 2000 — Professora de Psicologia I e II na Escola de Medicina Tradicional Chinesa.
PUBLICAÇÕES (entre outras):
1984 - “Influence of Early Mother-Infant Contact on Dyadic Behaviour During the First Month of Life” - COMES PEDRO J., JULIANA BENTO DE ALMEIDA J., SILVEIRA DA COSTA C., BARBOSA A.. “Developmental Medicine & Child Neurology”, 26, 657-664. Publicado posteriormente na  “Revista Portuguesa de Pediatria”, vol.17, 13-23.
1987 - “A Relação Precoce Mãe-Filho” - GOMES PEDRO J., BARBOSA A., SILVEIRA DA COSTA C., BENTO DE ALMEIDA, J.. “PSICOLOGIA - Revista da Associação Portuguesa de Psicologia”, vol. V, n°3, 391-409.
1988 - “Infant Behaviour and Temperament During the First Month of Life” - GOMES PEDRO L, BARBOSA A., BENTO DE ALMEIDA, J., SILVEIRA DA COSTA C.. “Advances in Psychology”, North Holland/Elsevier Publishers.
Quando fui convidada pela Directora da ESMTC, a integrar o corpo docente como professoara de Psicologia, achei a oportunidade um desafio pois apesar de já ter leccionado a disciplina no secundário, esperavam-me agora alunos com mais maturidade e, muitas vezes, com percursos profissionais em posições de responsabilidade. Por outro lado, o meu interesse pela cultura Oriental, em geral, facilitava a empatia com os alunos.

A minha experiência como professora tem-se mostrado muito gratificante e tem-me permitido crescer também com os alunos, de quem recebo sempre, e muito, e a quem gosto de transmitir a minha experiência de vida.

Ser professora na ESMTC é uma experiência muito gratificante, não só pelos inúmeros contactos e experiências que partilhamos mas, sobretudo, pela oportunidade que se tem de contactar com indivíduos de elevada formação cultural, moral, sentido de responsabilidade e elevada maturidade. O número de alunos de “mão cheia“ é muito elevado, o que contribui para o muito elevado nível da Escola de per si, e para o excelente ambiente de trabalho e partilha que lá se vive.

 

Guilherme Juvenal Branco, é um dos fundadores da Escola d'Energética Chinesa e Cultura Tradicional actual Escola de Medicina Tradicional Chinesa.

É Formado em Acupunctura desde 1982 e professor desta área desde 1983.

Responsável pela introdução da Dietética Chinesa em Portugal, foi professor das disciplinas de Acupunctura, Dietética, Tai Chi, Qigong, Massagem Chinesa, Emergentologia em MTC, Pediatria e Traumatologia.

Actualmente é Professor de Pediatria II.

Ajudou em cooperativas no Estado de S. Paulo (Brasil), educando agricultores e trabalhadores locais sobre saúde Pública e ecologia humana.

Exerce a actividade de especialista de MTC há mais de 30 anos, tendo trabalhado em 2 Hospitais Municipais do Rio de Janeiro em Acupunctura e Massagem, nos departamentos de Ginecologia, Obstetrícia e Pediatria.

 

 

 

 

 

Brevemente   

Lurdes Carvalho

Lurdes CarvalhoDra.Maria de Lurdes C Jóia Carvalho (47 anos)Licenciada em Medicina Tradicional Chinesa (Duração 5290 horas) pela Escola de Medicina Tradicional Chinesa (ESMTC), Lisboa. Diplomada em Medicina Tradicional Chinesa por Nanjing University of Chinese Medicine na República Popular da China.
Tese de Licenciatura: “Contributo para a caracterização e o diagnóstico da dor em MTC”.
Mestre em Medicina Tradicional Chinesa por Nanjing University of Chinese Medicine na República Popular da China, desde 2008 (teve a duração de 3 anos).
Tese de Mestrado: “ Differential diagnosis of epistemological data of Flu Syndrome in Lisbon, Portugal”. Professor Orientador: Chunxiang Zhou, na Nanjing University of Chinese Medicine na República Popular da China.
Associada Efectiva Nº 136 da Associação Profissional de Acupunctura e Medicina Tradicional Chinesa (APAMTC).
Membro Colectivo de Practitioner’s Register Nbr: 11205-1930 e de PEFOTS, adstrita à fundación Europea de Medicina Tradicional China.

Professora de Tuina e prática energética para o especialista de Tuina, na ESMTC desde 2001, com formação no sistema “ShaoLinNeiGongYiZhiChan”, professora de técnicas reflexas.
Orientadora e professora do treino tradicional para o especialista de Tuina: “Shou Fa”. Consiste em aulas práticas de treino continuo, conjuntamente com os alunos, com vista ao aperfeiçoamento e resistência do especialista. Seguindo o modelo clássico de aprendizagem. Exerço MTC também em clinica própria. Possuo outras formações na área mas que optei por não mencionar pois estas são as principais para a minha apresentação Curricular.

O meu primeiro despertar foi o facto de  ter trabalhado na Embaixada da R.P. da China em Lisboa  e também ter-me sido recomendado o tratamento para uma patologia “enxaqueca” que padecia desde muito pequena. E ter-me imaginado a fazer o mesmo aos outros. Despertou-me tanta coisa, tanta que passados tantos anos ainda me sinto a despertar cada vez mais.
Com tudo isto despertei para o ensino e tornei-me docente nesta Escola.
Comecei a estudar MTC no ano de 1998, ano em que ainda trabalhava na Embaixada da R.P. Da China em Lisboa. Foi nesse ano que tive o previlégio de contactar com os alunos que viajaram para a R.P. da China para fazer estágio. Fiquei muito interessada, motivada e tentei pesquisar. A nossa Escola é a única que tem um protocolo assinado com a Universidade de Medicina Chinesa em Nanjing. Pude contactar com todos esses documentos e saber que esta escola é mesmo uma Escola Tradicional. Além de tudo isto tratei-me de uma enxaqueca incurável à luz da Medicina Convencional, tratei-me com  os tratamentos feitos na ESMTC, ainda para mais estes tratamentos foram-me aconselhados por uma médica convencional. Agradeço a todos aqueles que me trouxeram aqui, foi de tal forma forte esta viagem pela MTC que ainda hoje aqui permaneço, cada vez a sentir-me mais feliz por caminhar nos trilhos do bem estar e do ensino.
Iniciei esta caminhada na via do ensino como docente da cadeira de Tuina, Shao Lin Nei Gong Yi Zhi Chan e Técnicas Reflexas.

Dar aulas, poder ensinar, passar o conhecimento de coração, é a minha maior felicidade. Adoro o que faço, adoro mesmo… Ser docente nesta Escola é a minha maior terapia, porque esta transmissão directa vai directamente ao amago do meu ser e da minha profissão, ser especialista e ser docente completam-me de tal forma que já passaram mais de 11 anos e ainda me sinto assim: Feliz. Os alunos são a minha maior motivação, pois trabalho para eles e para mim, porque esta troca é que nos ajuda a crescer e a continuar assim… Há mais de 20 anos. Somos a Primeira Escola de MTC… Somos mesmo… E não existem mais palavras e argumentos para dizer, que se ainda cá estamos é porque de facto a dedicação e o saber nos ajudam a crescer… Se quer crescer connosco, junte-se a nós e espero que sinta a felicidade que sinto todos os dias dentro de mim.

Brevemente   

 Manuel João Pinheiro

Joao 5Em nove anos de estudante Salesiano, percorri todo o currículo liceal, completei o 1º ano de filosofia no Instituto Superior de Estudos Teológicos, lecionei aulas noturnas e preparei adultos para o exame da 4ª classe, numa época em que este diploma valia tanto como hoje o 12º ano, mas , sobretudo, recebi a educação do Sistema Preventido preconizado por S. João Bosco no seu método educativo pedagógico.

Em doze anos de dirigente do Corpo Nacional de Escutas, vivi a pedagogia de Baden Powell, sempre com a imagem do pontapé dado no im da palavra impossível, significando que na vida tudo é possível, desde que o queiramos e façamos as coisas certas para o conseguir. Participei em cursos de pedagogia escutista, fui chefe de agrupamento, muitas vezes acumulando com chefe de secção, coordenei equipas pedagógicas e de atividades, mas sobretudo fiquei embuido do lema “sempre alerta para servir”.

As pedagogias Salesiana e Escutista são os pilares que em muito moldaram o meu modo de estar na vida.

A educação paterna / materna, o casamento, filhos e vida profissional são a massa que mantiveram esses pilares fortes e aprumados.

Comecei a caminhada da Medicina Tradicional Chinesa, fiz a licenciatura de cinco anos, e continuei a minha formação, pois considero ser um curso para o resto da vida, e assim, fiz o mestrado, muitos seminários, pós-graduações, não descurando a formação em novas tecnologias que apoiam e confirmam a sabedoria milenar da Medicina Tradicional Chinesa, assim como atualização pedagógica com o Certificado de Competências Pedagógicas.

A minha postura na Medicina Tradicional Chinesa, é dedicar a maior parte do tempo para a terapêutica clínica e para a minha formação, e reservar algum tempo para lecionar, ou, melhor dizendo, para contribuir na formação daqueles que querem ser excelentes e apaixonados especialistas de Medicina Tradicional Chinesa.

Esta opção não deixa tempo para investigação , mas escrevi vários artigos de Medicina Tradicional Chinesa para sites, coordenei uma equipa que elaborou e pôs em pratica um protocolo clínico anti tabágico, com a novidade de artigos de suporte publicados em site, na revista científica da ESMTC foi publicado resumo em Português da tese de mestrado “ Pre-menstrual syndrome treated with Herbal Chinese Medicine in a Portuguese population sample” trabalho clínico ao longo de quatro anos. O meu trabalho final de pós – graduação “ Carapaça Psíquica” classificado entre os dez primeiros do curso, será em breve publicado numa edição do Instituto Van Nghi de Portugal que inclui os vinte melhores trabalhos finais do curso de pós-graduação em Medicina Energética / Acupuntura.

A minha esposa é a principal responsável pela introdução dos chamados produtos naturais na minha vida. Na realidade, os nossos filhos muito poucos remédios famaceuticos tomaram ao longa das suas vidas, pois os produtos naturais eram usados para tratar e prevenir.

Fiquei em choque quando o meu irmão, dez anos mais velho que eu, faleceu, não da sua doença, mas sim da “cura”. Foram os medicamentos que tomou ao longo de anos que ditaram o fim da sua vida.

Na revolta que se apoderou de mim, uma pergunta surgiu: Não haverá algo, não haverá um processo de tratar as pessoas sem provocar a sua morte prematura? Uma pergunta que a vida se encarregou de deixar sem resposta na altura. A vida tem o seu próprio ritmo, e é preciso respeitá-lo. Anos mais tarde a vida se iria encarregar de me colocar a resposta à frente dos olhos. A mesma vida, se encarregou de abrir a minha mente para estar atento e perceber a resposta.

Em 1997, quando participava num curso de Tui Na, um simples panfleto anunciava uma jornada de divulgação de um curso de Medicina Tradicional Chinesa na ESMTC. Tocaram os sinos todos na minha cabeça, os neurónios entraram em ebulição, o cérebro iluminou-se e pensei: estará aqui a resposta à minha tal pergunta de alguns anos atrás?

Marquei presença nessa jornada, e a minha decisão foi imediata: é nesta filosofia de vida que eu quero viver, pois aqui posso encontrar muitas respostas a perguntas até agora não respondidas.

Passaram desassete anos desde então, completou-se o curso de 5 anos, fez-se o mestrado e muitas formações e pós-graduações, e não houve um único dia em que me tivesse arrependido da decisão tomada. Uma filha que se tornou uma excelente profissional de Medicina Tradicional Chinesa, quer na área da formação, quer na da terapêutica clínica, é, por si só, uma confirmação da validade da minha decisão.

Na minha cabeça, de vez em quando, surge uma pergunta: Porquê não começas-te mais cedo? Resposta: porque para ser o que sou agora, tive que passar por tudo o que passei antes.

Os anos passam, e a vida vai-nos proporcionando experiencias que contribuem para o enriquecimento dos nossos conhecimentos, conhecimentos esses que se transformam num tesouro único e precioso. Como qualquer outro tesouro, só é valioso se for partilhado e não ficar guardado no fundo da nossa sabedoria, como algo que apenas a nós pertence.

O conhecimento, por mais antigo e sábio que seja, pode ser sempre enriquecido com novos conhecimentos.

Como tal, aceitei reservar algum do meu tempo para a área de formador, que me permitia partilhar algo que tem e deve ser partilhado: os conhecimentos que a formação e a experiencia de vida me foram enriquecendo e moldando.

A ESMTC foi a escola que me preparou para ser um profissional competente, que fez com que no meu estágio hospitalar em Nanjing, Republica Popular da China, eu me sentisse como “peixe dentro de água”, pois percebi quão elevado era o meu nível de preparação, que me ensinou a olhar para cada paciente como um todo, diferente de todos os outros, e não apenas para a sua “doença”, que me fez perceber que ser profissional de Medicina Tradicional Chinesa não era só uma profissão, mas sim uma paixão, um modo de estar na vida...

Achei pois, que esta mesma ESMTC poderia ser o veículo para a partilha deste meu tesouro, consciente que iria contribuir para a excelência da formação dos novos profissionais da Medicina Tradicional Chinesa.

É sempre com muito orgulho e emoção ( e até com uma lágrima no canto do olho ) que vejo os alunos terminarem o seu curso, seguirem as suas vidas e continuarem a construir cada um o seu tesouro, e é para mim um previlégio ter sido professor dos excelentes profissionais de Medicina Tradicional Chinesa em que eles se tornam, e ter contribuído com uma pequena migalha e muita paixão para o seu sucesso, que é, afinal e tão só, o sucesso dos seus pacientes.

Brevemente   

Brevemente   

Brevemente   

     Paulo Oliveira                                                                                                     

Paulo Olieira

Formado pela ESMTC, iniciei a atividade como professor na ESMTC em 2002. Atualmente leciona como professor de TuiNa 2, TaiChi 1 e TaiChi 2, orientador da cadeira de Projectos de Intervenção (4º ano), coordenador de Estágio Clínico de TuiNa e coordenador de Estágio Hospitalar com Universidade de Medicina Chinesa de Nanjing para os estudantes da ESMTC. Também já lecionei as cadeiras de TaiChi 3, QiGong 2 e Prática Energética.
Estou a trabalhar em clínica desde o fim de 2002, inicialmente de forma tutelada e posteriormente de forma autónoma. Tenho tido a oportunidade de trabalhar não só com profissionais de outras TNCs, mas também de TCs e de desenvolver conhecimentos na interação que surge da dinâmica da união de esforços.
Fora da MTC, tenho formação em Shiatsu, Dorn e Breuss.

As atividades do âmbito da MTC são sempre gratificantes, sejam elas na atividade clínica, seja na atividade pedagógica. Por um lado temos a vantagem de comprovar todos os conhecimentos adquiridos na nossa formação, verificando os bons resultados das nossas intervenções. Por outro lado, temos a vantagem de verificar o desenvolvimento de futuros profissionais. Com momentos muito bons e outros momentos mais difíceis, mas com a noção de que todos são necessários à sua valorização e desenvolvimento.
 
O meu interesse nesta área esteve sempre latente. Apesar de formado e bem empregado, as experiências naturais da vida levaram-me a concluir que poderia ser mais feliz (e até ter uma renumeração mais alta), fazendo o que gosto, obviamente mais motivado. Havendo iniciativa, prazer no que se faz, no saber-fazer e fazer bem feito, não há como falhar. Assim, em 1998 iniciei o percurso que haveria de me conduzir à ESMTC e onde me mantenho até hoje.
 
Comecei a estudar MTC em 2000 e para me poder dedicar totalmente a isso, tive a oportunidade de deixar de trabalhar na minha atividade anterior. Foram árduos anos de estudo e dedicação, mas que culminaram em actividade clínica e pedagógica, independência financeira e realização pessoal.
 
Para mim, ser professor na ESMTC é um prazer e uma oportunidade.
Um prazer porque tenho a vantagem de participar no desenvolvimento de futuros profissionais e colegas, ajudando-os a ultrapassar as dificuldades das diferentes fases de aprendizagem.
Uma oportunidade, porque assim posso tentar devolver toda a entrega e dedicação que os meus professores e a escola teve comigo aquando da minha formação.

Paulo Mascarenhas

paulo-mascarenhas1998 Licenciatura, Biologia, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
2012 Mestrado, Biologia molecular em Saúde, ISCSEM

Interesses:
 
1. Biologia molecular
2. Fisiopatologia
3. Meta-análise
4. Biomarcadores salivares
5. Bioinformatica

Fui convidado por um amigo para lecionar a cadeira de Botânica, na altura recém-criada no curricula do Curso. Entretanto acabei por lecionar também outras disciplinas, na área das ciências da saúde ocidental.

Desde o início que senti estar integrado numa escola/equipa excelente e ter independência para desenvolver os conteúdos temáticos das disciplinas lecionadas que mais se adequavam aos alunos.

Apesar de ter frequentado o curso não o completei pois tive que desistir por motivos pessoais e profissionais.

Vesti a camisola da Escola pois sempre senti apoio por parte da direção, funcionários, colegas e alunos.

Brevemente ... 

 

Pedro Filipe Reis Serra de Matos, Português, natural de S. Domingos de Benfica. 25 anos.
Hobbies: Karate, Ténis, Snoocker, leitura no âmbito técnico, Culinária.

Conclusão em 2012 do Curso de Medicina Tradicional Chinesa, com Tese no âmbito da Acupucntura e lombalgia.
Desde 2008-2012 – Estágios Clínicos Anuais na Clínica da ESMTC.
No Ano lectivo 2010-11 – Monitor da Cadeira de Teoria Básica de Medicina Chinesa, no Curso de Medicina Chinesa, Profª regente da cadeira: Ana Varela.
Em 2012 estágio internacional em Nanjing, na Nanjing University of Chinese Medicine

Desde Janeiro de 2014 Docente na Esmtc do departamento de Acupunctura, nas cadeiras: Acupunctura  Clinica I e II.

Fazer parte de uma estrutura que tem 20 anos de história deve agradar a qualquer Professor que veja a docência como uma carreira.Ser Professor na ESMTC dá oportunidade de estar inserido na comunidade de Medicina Chinesa de modo mais profundo, ter contacto com novas abordagens terapêuticas, para benificio directo ou indirecto para o doente a quem fornecemos cuidados de saúde.
A inspiração surge quando somos Alunos, pois um Professor é um eterno Aluno.
O professor é a figura que nunca morre, perpetua o seu conhecimento na passagem do conhecimento aos seus alunos, algo que já vivi e que tento transmitir aos atuais alunos.

O despertar surge quando me foi mostrada a hipótese de ter uma solução para uma panóplia de estados/patologias que conseguem ser modificavas com a inserção de Agulhas, em pontos específicos.  Quando conseguimos de modo Natural por via da alimentação retomar o rumo da saúde, que as rotinas de exercícios físicos permitem uma homeostasia para o equilíbrios da Saúde.
Para um aluno verificar a redução visual de tremor em doentes com Parkinson deixa, quem sente vocação pela área da saúde, estasiado e com vontade de saber cada vez mais. Este facto ilustra um exemplo em que me revejo.

A minha caminhada começou em Junho de 2007.
Volvidos 7 anos vejo que a decisão tomada foi muito proveitosa, a vários níveis, e permitui-me ter conhecimento antigo,sobre a saúde, que permanece extremamente actual.
Na Clínica é onde se comprova que a opção foi a certa, quando surge na vida de alguém o reflexo do nosso trabalho.

Actualmente sou professor de Acupunctura Clínica II, tenho por missão desenvolver o conhecimento sistémico da Acupunctura, relacionar técnicas complementares de Acupunctura com alguns conhecimentos ocidentais.
 Facultar  aos alunos  os mecanismos mentais necessários para a selecção apropriada de terapêutica, no âmbito da Acupunctura.
 A integração da Medicina Chinesa e o  “Mundo Ocidental” é parte integrante da minha pessoa, o que se pode reflectir na minha abordagem como Professor. Ao Professor cabe o papel de ser o veículo do conhecimento, não cabe inserir o conhecimento na cabeça de alguém. Porque acredito que para se evoluir tem de haver interesse!
Ser Professor permite conhecer pessoas com grandes capacidades, quer intelectuais, quer emocionais, e por isso creio que se estivermos atentos todos saímos beneficiados.

 

   

Sou licenciada em quimica industrial com estagio em quimica organica.
Tenho o curso de Naturopatia e MTC .
Frenquentei varias formações de massagem, florais, fitoterapia, dietetica e acupunctura japonesa.
Sou terapeuta de Mtc há 8 anos e professora de Botanica e Dietética na ESMTC há cerca de 6 anos.

A inspiração para ser professora na ESMTC teve a ver com a frequencia do curso de MTC.
Descobri que adorava transmitir os conhecimentos que aprendi.

Com a minha formação de quimica sempre tive muito interesse pelas plantas.
Chegou um dia que reflecti ser insuficiente o conhecimento que tinha das plantas. Precisava de mais …. e assim fui frequentar naturopatia....mas a insatisfação aumentava.
Decidi visitar a escola da ESMTC e ocorreu o clic. Sabia que estava ai o meu caminho.

Comecei a estudar MTC em 2005. Foi uma excelente decisão que mudou a minha vida em todos os aspectos para uma melhor felicidade em todos os ambitos.

Ser professora na ESMTC é uma experiencia incrivel de aprendizagem. Adoro transmitir o que sei e evoluir com os alunos.
E uma experiencia gratificante, pois crescemos com os alunos.

 

Brevemente...